Grande comissão ou grande omissão?

Diante do desafio que Cristo nos deu em Mateus 28.18-20 uma pergunta me vem a mente: você quer ser participante da grande comissão ou da grande omissão? Talvez a nossa resposta estará baseada no que compreendemos desta responsabilidade que nos foi dada.

Para que fique mais claro, quatro pontos devem estar bem definidos.

1. A autoridade da nossa missão
No versículo 18 vemos que o Mestre inicia seu discurso demonstrando de onde procedia a autoridade para a ordem que seria dada. A autoridade de Cristo está tanto sobre os seres espirituais (anjos e demônios) quanto sobre os governantes temporais (autoridades terrenas instituídas). Ainda mais, está sobre os que se chamam seus servos, os cristãos. Diante de tal autoridade não há espaço para argumentações e racionalizações, somente há espaço para obediência.

2. O âmbito da nossa missão
No início do verso 19 Jesus vai delimitar o âmbito de nossa missão e este não é realmente muito limitado. Devemos fazer discípulos de todas as nações. Nesse sentido não podemos nos limitar as centenas de nações independentes atualmente reconhecidas pela ONU (o que já seria um grande desafio), mas temos que entender que Cristo declarou que o âmbito são todas as etnias, o que aumenta o nosso escopo de centenas para milhares, pois temos que considerar todas as línguas distintas, todas as culturas distintas e todos os grupos étnicos distintos. A missão realmente é enorme.

3. A atitude da nossa missão
Depois então vemos qual deve ser nossa atitude. Como igreja nossa atitude deve ser diferente da que teve Israel. Não devemos reproduzir uma determinada cultura, mas temos que entender que o cumprimento da nossa missão é supra cultural. Discipular significa tornar alguém submisso à disciplina. Discipular significa motivar à identificação com o Deus trino. Discipular significa promover obediência sem reservas. Algumas dessas atitudes respeitam as diversas culturas étnicas, outras exigem obediência exclusiva à cultura do Reino.

4. O amparo da nossa missão
Para concluir, a segunda parte do verso 20 nos consola. Se você tem sido cristão (não importa a quanto tempo) certamente você já experimentou esse “estarei convosco” na sua vida. Se olharmos sinceramente para a história e percebermos como o trabalho de missões e como a história da igreja foi preservada ao longo das eras, facilmente veremos a mão soberana de Deus agindo. Além disso, podemos ter a confiança de que este amparo só acabará com a vinda daquele que prometeu estar ao nosso lado.

Reconheço que é difícil o âmbito e a atitude da nossa missão. São humanamente impossíveis. Mas sabedores da autoridade do enviador e da qualidade do amparo que temos, não podemos esmorecer em cumprir nosso trabalho. É uma honra para o gênero humano poder ser parte dos planos de Deus.

E então? Você será parte desta grande comissão ou se esconderá vivendo a grande omissão?

Samuel

P.S.: Texto baseado em sermão do Dr. Carlos Osvaldo Cardoso Pinto

Reportagem TV UNITEL: Crianças dos presídios bolivianos para a Casa Lar da Expedição Mochila

Você sabia que na Bolívia mais de 3 mil crianças vivem nos presídios? Uma chamada da TV UNITEL Bolívia sobre o trabalho que fazemos em Puerto Suarez com as crianças que viviam nos presídios junto com os pais e agora estão na Casa Lar.


caso não veja o vídeo acima clique aqui

Conheça mais e saiba como ajudar em http://www.em.org.br

Até mais

Ricco

Material de Junho disponível: informativo impresso e apresentação para orar

blog-EM-01062013 Daniel e Cecílio, crianças que vivem na Casa Lar da Expedição Mochila na Bolívia.

Acabo de disponibilizar no site dois arquivos para você fazer o download gratuitamente.

O Informativo Impresso é para você colar no mural da igreja. Este informativo foi produzido só em branco e preto pensando na facilidade de baixar e imprimir.

A Apresentação para Orar é um powerpoint para você passar no data-show da igreja e orar com todos. Vai tomar uns 10 minutos do culto.

Ore conosco, participe da Expedição Mochila espalhando as informações das crianças nos presídios bolivianos entre seus amigos e igreja!!!

Clique aqui para pegar o material: http://www.em.org.br/espalhe/

Até mais

Ricardo Silva – Ricco
Coordenador EM
Missionário na Bolívia

10 motivos para participar de um impacto missionário nas férias

1. Obedecer a Deus
Pregar o evangelho é uma obrigação, não é opcional. Quando você participa de um impacto missionário você se envolve em um projeto de anúncio da Palavra do Senhor. Nos impactos missionários a grande maioria das atividades estão relacionadas com o evangelismo. Você fala de Jesus de maneira direta entregando um folheto, fazendo um teatro ou abrindo a Bíblia e pregando, e também prega indiretamente participando de um projeto com esportes, saúde ou reformas e construções.

2. Servir ao próximo
Amar a Deus e amar o próximo são coisas fundamentais na vida de um cristão. Em um impacto missionário você tem a oportunidade de servir as pessoas, ajudá-las, aconselhar, ensinar, estar junto. Eu percebo que aqui na Bolívia muitas crianças e jovens se alegram apenas de receber os brasileiros, independente do que vão fazer. As pessoas gostam de estar com o grupo, conversar, contar sua vida, tirar fotos. Estar junto é uma maneira de servir, mas não esqueça que ainda pode fazer bastante por elas. E faça!

3. Tempo disponível
A maioria das pessoas reclama que não tem tempo para fazer a obra de Deus, muitas estão dizendo a verdade. Você pode aproveitar as férias para viajar e servir ao Senhor por uns dias dentro de todos os dias que tem livre. Nem todos tem a mesma quantidade de dias disponíveis nas férias, mas tente encaixar em parte deste tempo uma viagem de impacto missionário. Este tempo que você tem nas férias pode ser a única oportunidade de tempo livre do ano.

4. Conectar-se a pessoas e conhecer culturas
Esse é um dos motivos mais legais. Você vai conhecer pessoas que pensam diferente de você, que tem uma visão de mundo diferente da sua, que tem crenças que você nunca ouviu falar, e lógico, muitos comportamentos para você serão estranhos. E dependendo para onde for sua viagem, comportamentos muito estranhos. Essa mescla de crença, pensamento e comportamento formam a cultura local. Aproveite para aprender e vivenciar tudo aquilo puder, coma algo diferente, observe e ouça as pessoas, dê uma oportunidade para sua cabeça pensar diferente por alguns dias. Sem contar que na equipe que viaja você também vai conhecer melhor os amigos e fazer novas amizades. Uma dica importante é não apenas conhecer as pessoas, mas se conectar-se a elas, faça amizades de verdade, se importe com seus problemas, não atue como um repórter fazendo só um monte de perguntas, se envolva com as pessoas e deixe elas se envolver com você.

5. Treinar outros idiomas
Aqui na Bolívia, nos impactos de férias, você terá oportunidade de treinar o espanhol e o inglês. O espanhol com o povo local e o inglês com uma família de missionários americanos que moram aqui e atuam junto a Expedição Mochila. Nada melhor que falar e ouvir outro idioma fora da sala de aula e dos livros didáticos, você aprende melhor, aperfeiçoa e ganha fluência.

6. Sair (um pouco) do conforto de sua casa
No impacto missionário você estará fora do conforto de casa, e isso é ótimo! Você pode dormir em colchonete, comer uma comida diferente, tomar banho mais rápido, dividir seu espaço com outras pessoas, não ter uma farmácia ou lanchonete por perto. São coisas que, talvez, você não esta acostumado a viver. É ótimo sair um pouco de sua rotina, pois você não terá apenas um desconforto que não está acostumado, mas também saíra de uma rotina que muitas vezes esta te estressando e você nem percebeu.

7. Aprender a trabalhar em equipe
No impacto missionário cada atividade demanda várias tarefas, e ai entra a divisão das funções na equipe. Uns são bons com trabalhos manuais e outros com a pregação, o trabalho de alguns aparece e o de outro ninguém vê, uma habilidade completa a outra, e assim a equipe vai trabalhando junto. É bom aprender a dividir, ouvir, esperar, ser contrariado, colaborar, tudo isso faz parte do trabalho em equipe.

8. Apoiar os missionários e obreiros locais
Esse é um ponto importantíssimo do impacto missionário. Claro que estamos pensando nas pessoas que vamos evangelizar, no povo local, na cultura. Mas os missionários e obreiros locais também precisam de apoio, amizade, um ombro pra chorar e um amigo para orar. Inclua no sua agenda e nas suas tarefas um tempo com os missionários e obreiros locais. Como missionário local eu te digo que é legal alguém perguntar sobre o trabalho, se importar, fazer um compromisso de oração, sair pra comer uma salteña junto e trocar ideias. E aqui na Bolívia a salteña é uma delícia!

9. Pode ser o começo de uma vida missionária
Hoje eu estou com minha família no campo missionário aqui na Bolívia, viemos e ficamos. Mas nós, eu e a Lari, começamos com viagens de impacto de 15 ou dez dias. E confesso que em minha primeira viagem de impacto missionário eu não tinha ainda a noção de meu chamado e nem da decisão que viria anos depois. Deus foi formando em nós um coração missionário pelo estudo da Palavra e em muitas situações de nossas vidas, com certeza as viagens de impacto tem um importância especial nesse processo de nos tornarmos missionários. Venha para um impacto de alguns dias, mas deixe Deus trabalhar em sua vida por um longo tempo, pela Palavra e pelas situações. E no impacto missionário preste atenção não só no trabalho que Deus esta fazendo com os outros através de suas mãos, mas como Deus esta trabalhando em seu próprio coração.

10. Aprender que a ética e as regras também são coisas importantes para missões
O último motivo é uma dica de comportamento e alguns cuidados nos impactos missionários. Infelizmente muitas pessoas pensam que por vir ajudar de forma voluntária, estar pagando, e ser algo nas férias, não existem regras e pode fazer o que quiser. Isso é o motivo de alguns obreiros não desejarem receber um impactos missionários de férias em seu campo de trabalho. Esteja mais preocupado com as pessoas e os eventos do que em tirar fotos e filmar as pessoas e os eventos. Entenda que seu trabalho é temporário e respeite os obreiros e missionários do local, sua opinião é bem vinda, mas a visão de quem esta no local é mais apurada e de longo prazo. Cuidado com as críticas, comentários e piadas sobre as diferenças culturais, especialmente sobre as pessoas, seus hábitos e sua comida (algo que pode ser nojento para você é o “arroz com feijão” de um local). E por último, mas não menos importante, cuidado com o “estilo” neo-pentecostal da igreja de onde você vem, observe o estilo dos missionários e obreiros locais e pergunte antes de sair (supostamente) profetizando para as pessoas, orando em língua estranha e outros costumes mais exagerados e estapafúrdios.

Existem outros bons motivos para uma viagem de impacto missionário, escreva o seu ai nos comentários. Se tiver dicas ou alertas, comente também.

Participe dos impactos missionários de férias com a Expedição Mochila, sempre temos viagens em Janeiro e Julho. Clique aqui e saiba mais.

Veja aqui as fotos das Viagens de Impacto Missionário que a Expedição Mochila organiza para a Bolívia.

Valeu e até mais

Ricardo Silva – Ricco
Coordenador EM e missionário na Bolívia

Escola de futebol para crianças na Bolívia

Porque o futebol é uma boa ferramenta para trabalhar com evangelismo e discipulado e alcançar as crianças com o Evangelho de Jesus. Assista o vídeo abaixo.


Caso não veja o vídeo acima clique aqui

Até

Ricardo Silva – Ricco
Coordenador EM

Esperança: CRISTO!

Uma mensagem do presidente da Expedição Mochila para a equipe do Impacto Bolívia Julho de 2012

Amigos,

Falta muito pouco para estarmos na Bolivia e viver esta maravilhosa experiência de servir e experimentar o poder do evangelho para salvação (Rm 1:8)!

Neste momento de fazer as malas é momento também de orar e refletir na palavra de nosso Senhor, e uma das passagens que me recordo são grandes aventuras de Paulo nas viagens missionárias. Regadas de ousadia, coragem, visão e esperança.

No livro a divina comédia de Dante Alighieri, diz que na entrada do inferno está escrito: Perdei vós que entrais toda a esperança. Para muitos que ainda estão vivos esta citação é uma realidade que as leva a viver uma vida sem esperança de presente e futuro.

Deus tem nos chamado para sermos protagonistas no mundo – iluminando (luz) e dando sabor (sal) – esta é uma oportunidade singular. Temos em nós um grande tesouro, em vaso de barro sim, que pode transformar a vida das pessoas (espiritualmente).

Aproveitem ao máximo esta viagem, oro ao Senhor para que cada um, assim como os discípulos de nosso Senhor ao voltar, contem maravilhosas demonstrações do poder de Deus sendo operado por meio de vós. A nosso favor, temos a palavra do Senhor que nos diz que Ele estaria conosco até a consumação dos séculos e que obras maiores nós faríamos.

Um grande abraço

Farney Franco
Presidente da Expedição Mochila

Farney, Mauren e Ana Isabel