8 dicas para quem for visitar um orfanato

orfanato bolivia

Minha pequena experiência nesses quase três anos de orfanato, cuidando das crianças, lidando com a equipe e recebendo visitas, me ensinou algumas coisas.

Você vai visitar um orfanato? Então anote estas 8 dicas:

  1. Pergunte à equipe do ela precisa, e não às crianças.

Antes de ir, pergunte do que o orfanato precisa. Brinquedos, roupas e doces normalmente são as coisas menos úteis e necessárias. Pense em coisas como alimentos base (frutas, leite, achocolatado, óleo, feijão), materiais de limpeza e higiene pessoal, material escolar, livros para colorir ou para desenhar e lápis de cor ou giz de cera, jogos educativos.

Pense também em doar dinheiro. Ao ajudar a pagar a conta de luz, água, salário da equipe, você estará fazendo um bem enorme às crianças.

  1. Não use a vida das crianças pobres para fazer seu filhos dar valor à vida de fartura.

Leve seu filho para o orfanato e deixe-o se envolver com as crianças e conhecer a realidade delas, depois converse com ele de maneira honesta sobre os problemas que todos podem enfrentar na vida.

Não vá a um orfanato somente para:

  • dizer ao seu filho que ele deve comer tudo porque tem comida boa e as crianças do orfanato não têm;
  • que seus filhos devem obedecê-lo porque têm pai e mãe em casa, e crianças de orfanato não têm;
  • que devem estudar mais porque estão em um bom colégio e as crianças do orfanato não.
  1. Esqueça seu celular e não pense nas fotos que você gostaria de postar no Facebook ou Instagram.

Muitas pessoas que vão a um orfanato simplesmente esquecem de curtir as crianças, pensam apenas nas fotos do “bem” que serão postadas e curtidas nas redes sociais.

A cada dois minutos, tiram dez fotos fazendo poses ao lado das crianças que são obrigadas a sorrir e dar beijinhos para o seu click. O melhor a fazer é deixar seu celular em casa ou na bolsa, esqueça as fotos, aproveite o tempo com as crianças, conversando, jogando bola, ajudando na lição de casa, arrumando seu armário de roupas, cortando suas unhas.

No final, talvez, você tire uma foto com a galera toda (apenas uma), para registrar que você esteve ali.

E depois disso, de preferência, não poste essa foto, apenas a guarde com você e leve os melhores momentos na mente e no coração e não no chip do celular.

  1. Não prometa o que não pode e não vai cumprir.

É comum que as pessoas pensem que a melhor maneira de expressar seu amor e carinho por uma criança é dizer-lhe que vai levá-la para casa.

Perguntar para uma criança do orfanato se ela gostaria de ir embora com você é a pior coisa que ela pode ouvir:

  • Em primeiro lugar, porque muito provavelmente você não vai cumprir, às vezes, nem pode.
  • Em segundo, porque você está dizendo a ela que o local em que ela está não é tão bom quanto se ela estivesse com você em sua casa. Em vez disso, diga coisas que valorize a criança no lugar em que ela está; por exemplo: “que bom que você mora aqui”; “que bom que tem tios que cuidam de você tão bem”; “que legal é sua casa e seu quarto”; “como é gostosa a comida aqui”.
  1. Entenda que o orfanato não é o ideal para a criança, mas o fato é que se ela não estivesse ali poderia estar em situação de risco.

Um orfanato é um lugar de resgate. E ninguém é resgatado de uma situação boa, se ela está ali é porque algo deu errado em sua vida logo no início de sua caminhada neste mundo. O orfanato não é um lugar ideal para as crianças, bom mesmo seria se ela estivesse com a própria família, seja a original, a estendida ou a que a adotou.

O orfanato é um lugar de resgate para cuidar, amar e tentar fazer de sua infância uma vida melhor. O fato é que se ela não estivesse ali, seria muito pior.

Não vá a um orfanato como quem vai a um passeio no zoológico, museu, ou parque de diversões. Para você, é uma visita ao “orfanato”; para a criança, é a casa dela.

Ore antes de ir para que Deus o use de maneira a abençoar aquelas vidas ali. Ore para Deus dar-lhe um pouco do sentimento que elas têm de viver em um orfanato.

Assim, sua relação com as crianças e a maneira de enxergá-las vai melhorar bastante.

  1. Valorize toda a equipe de trabalho de um orfanato.

Normalmente, jogamos confetes nos missionários “super-heróis” e esquecemos de reconhecer a extrema importância da equipe de cozinheiras, camareiras, limpeza e faxina, manutenção e por ai vai.

Lembre-se de que todos são importantes para a casa funcionar. Faça elogios de forma igual e justa a todos que operam a casa. Demonstre seu reconhecimento de forma igual com todos que trabalham ali. Inclusive se lembre de que uma das partes mais importantes de um projeto como orfanato nem está ali: são os mantenedores financeiros que estão longe fisicamente, porém mais presentes do que nunca no dia a dia do projeto. Lembre-se de agradecer a Deus por esses também.

  1. Dê atenção a todas as crianças de maneira igual e respeite seu humor do dia.

Em orfanatos, sempre tem aquela criança mais bonitinha, gordinha, fofinha, lindinha, simpática, falante, estilosa ou com histórias mais chocantes que outras. De um lado, procure dar atenção a todas de maneira igual e não só para aquelas “mais mais”. Por outro lado, mesmo sendo justo ao distribuir seu amor e carinho, respeite o humor do dia da criança, não force a barra caso uma delas não queria conversar muito ou não esteja tão sorridente como você gostaria.

  1. Nunca pergunte sobre o passado das crianças.

NUNCA faça perguntas sobre o passado da criança ou de sua família. A cada vez que uma criança fala sobre isso, revive momentos de dor, por isso somente deve ser feito por pessoas bem preparadas e em momentos específicos. Deixe essa tarefa para a equipe, que está habilitada a lidar com esse assunto!

Siga essas dicas e sua visita a um orfanato poderá ser espetacular tanto para você, que ficará apenas alguns momentos ali, como para as crianças, que moram na casa, e a equipe, que trabalha diariamente.

Um orfanato precisa da ajuda, atenção e carinho de muitas pessoas, portanto, seu apoio é fundamental, envolva-se a longo prazo, mesmo estando longe!

Mas junte-se a ele da maneira que realmente pode ajudar e ser uma bênção para as crianças e para a equipe.

Ricco

Futebol americano no orfanato na Bolívia

Um dia destes, no orfanato na Bolívia jogando, ou melhor, tentando jogar, futebol americano. Não sei se cumprimos todas as regras do jogo, mas com certeza nos divertimos muito!!!

Caso não veja o vídeo acima clique aqui

Juan, 8 anos

juan blog

O Juan está no orfanato desde o começo do ano e chegou por causa das constantes agressões na família. Ele teve uma lesão grave no olho direito.

Quando ele chegou no orfanato estava sem ir ao colégio por um ano e meio, ele nem sabia segurar um lápis direito em Janeiro. Agora em Junho podemos ver que está avançando bem na escola, tanto os estudos quanto o comportamento. Outro avanço importante é sua autoestima, quando voltou a ir à escola ele vivia com a mão sobre seu olho direito tentando esconder a cicatriz. Passando alguns meses ele foi aceitando e entendendo que pode viver bem com isto, e não esconde mais o olho. O Juan aprendeu a olhar as pessoas de frente com confiança e respeito. Isto é fruto do amor de Deus e de todos que cuidam dele no orfanato.

orfanato bolívia

Um amigo veio visitar no orfanato e resolveu enviar o Juan ao oftalmologista para ver se algo poderia ser feito em seu olho. Passamos pela consulta e infelizmente nada a fazer. O olho direito tem retina descolada, hérnia no globo ocular e atrofia. Uma cirurgia teria efeito estético, mas infelizmente ele não volta a ver com o olho direito devido as lesões permanentes.

Ele está bem! Evoluiu muito desde que chegou aqui. Hoje vive como uma criança normal, estuda, joga bola, anda de bike, participa dos estudos bíblicos (está aprendendo a ler e escrever). O orfanato é sua casa e família. Esta é a boa notícia, ele está bem cuidado na Casa Lar missionária na Bolívia.

Juan-bikeContinuem orando por ele, o grande ensino e desafio é mostra-lo como viver bem sem contar com a visão do olho direito. Ele pode seguir a vida normalmente na escola, em casa, com os amigos, e fazer tudo mais de uma criança de 8 anos. Temos que ajuda-lo a crer nisto e a fazer isto! Somos sua família. E nós contamos com você para dividir a responsabilidade do orfanato na Bolívia e ser a família do Juan também.

Valeu

Ricardo Silva
Coordenador EM
Missionário na Bolívia

DOE BIKE. Resultado da campanha das bikes, Dia das Crianças no orfanato na Bolívia 2014

blog-doebike

Emocionante entregar uma bike para cada criança, no vídeo abaixo você pode ver melhor como foi. Quando iniciamos a vaquinha para comprar uma bicicleta para cada criança do orfanato, não imaginava que mobilizaria tantas pessoas. Começamos a arrecadar o dinheiro no primeiro dia de Abril, e antes do fim do mês já tínhamos R$ 5.185,88, bem mais que nossa meta de R$ 3.500,00. O dinheiro que não usamos nas bikes foi investido nas próprias crianças com suas despesas aqui no orfanato.

Ficamos muito animados de ver todos fazendo sua parte, divulgando, compartilhando, doando. Obrigado a cada um que participou e abençoou as crianças do orfanato na Bolívia. O Dia das Crianças de 2014 será inesquecível para elas. E confesso que para mim também!

Abaixo algumas fotos e o vídeo da entrega das bikes…

DSCN0584_1 DSCN0585 DSCN0586 DSCN0590 DSCN0592_1

caso não veja o vídeo acima clique aqui

Valeu

Ricardo Silva
Coordenador EM
Missionário na Bolívia

O que planejamos para o futuro das crianças do orfanato na Bolívia

cecilio-pedro-malabares

O governo boliviano exige de nós um plano de trabalho onde temos que incluir o que planejamos para o futuro das crianças que hoje estão no orfanato na Bolívia. Ter isto claro é bom não só para o governo, mas para nós mesmos, para os parceiros de oração e sustento, e também para as crianças.

Nós atendemos três problemáticas no orfanato:

  • Crianças que viviam no presídio com o pai e ou mãe
  • Crianças órfãs e que não encontraram uma família adequada entre os parentes
  • Crianças vítimas da extrema pobreza, o que causa outros problemas como rejeição, abusos, exploração do trabalho infantil

Em todos os casos existem três alternativas, (1) ou a criança voltará para a família original, (2) ou será adotada e terá uma nova família, (3) ou será parte de nossa família no orfanato até se tornar um adulto. Em todos os casos, nós priorizamos uma família no sentido mais amplo da palavra, um lar com amor, carinho e atenção com o básico de saúde, educação e proteção.

crianças-orfanato-bolivia1

As crianças que tem família na prisão ou em extrema pobreza, nós acompanhamos a família, junto com uma equipe da igreja local e sob a supervisão da Defensoría de la Niñez, para verificar o momento adequado para que ela volte a sua casa. Seja quando os pais deixarem o presídio ou quando a criança tiver garantia de proteção de seus direitos. Um exemplo, temos dois irmãos que ficaram órfãos e moravam com a irmã mais velha. Estes meninos viviam na rua fazendo pequenos trabalhos para ajudar com a renda. Quando chegaram ao orfanato voltaram a apenas estudar e ter tempo de lazer. Nas férias eles foram passar uns dias com a irmã e voltaram para as ruas para vender balas. Segundo eles a irmã pediu que vendessem para que juntasse dinheiro para uma viagem. Outro exemplo é um garoto que sofria exploração em casa, e ao ir passar férias com a família foi maltratado, ofendido (abuso psicológico pode ser tão destrutível quanto abuso físico) e colocado na rua para pedir dinheiro. Esses são casos típicos de crianças que não podem voltar aos seus parentes, pois serão explorados novamente. Isso significa que ficarão conosco por um longo tempo.

Aqueles que são órfãos ficam na dependência da justiça para definir o futuro deles e a disponibilidade para adoção. Também dependem de uma família para adotá-los, e como já são grandes, as chances são pequenas. Com isto consideramos que muitas crianças ficarão conosco até se tornarem maiores de idade. Mas e depois? Nossa visão é ser uma família, não apenas um abrigo. Nós vamos fazer com as crianças o que uma família faz com seus filhos. Caso não voltem a sua família original ou não sejam adotados, eles estarão sob nossa tutela até se tornarem adultos independentes, e não apenas até completarem 18 anos. Isso inclui enviá-los a faculdade, e financiar os estudos se for preciso, ajudar a encontrar o primeiro emprego e dar os primeiros passos na vida adulta independente. Ai sim podemos considerar o desligamento do orfanato. Mas jamais serão desligados como família! Esse é nosso chamado, nossa vocação, e não podemos querer menos para as crianças do orfanato do que desejamos para os nossos próprios filhos!

daniel-bicicleta

Junte-se a nós pelas crianças bolivianas, torne-se um parceiro de longo prazo, vamos precisar de suas orações e ofertas por muito tempo. Filho custa caro, mesmo para nós que vivemos com o básico em um estilo de vida simples com as 14 crianças do orfanato. Nossa maior necessidade são pessoas que contribuam fielmente todo mês. A frequência de sua oferta é mais importante do que o valor doado. Pois se todos doarem um pouco chegaremos ao valor necessário, e se todos doarem mensalmente, teremos todas as contas em dia.

Clique aqui para se tornar um mantenedor

Valeu e até mais

Ricardo Silva – Ricco
Coordenador Expedição Mochila
Missionário na Bolívia

Fevereiro na Expedição Mochila

Volta as aulas na Bolívia

isael_blogNo orfanato na Bolívia temos 11 crianças, todas estão na escola. A educação é um dos nossos maiores desafios com estas crianças. Além de todo cuidado que uma criança deve receber e do discipulado bíblico, pegamos firme nos estudos. Reforço ao ensino de sala de aula, ajuda nos trabalhos e lição de casa, o bom comportamento e respeito aos professores e colegas na escola.

Chegada do Juan e da Carolina
Temos duas novas crianças no orfanato.

juan_blog

Juan é vítima de maus tratos e descaso. Pelas agressões de seu padrasto e negligência de sua mãe eles perderam a guarda do Juan e ele vive conosco no orfanato.

Carolina_blog

Carolina é irmã de Cecílio e Daniel que já vivem conosco desde o ano passado. A mãe está presa e ela vivia com as irmãs mais velhas, que trabalham o dia todo e não tinha estava dando atenção a ela. Ela abandonou a escola e começou a ficar na rua. Nós a trouxemos para viver no orfanato a pedido da mãe.

Oração
Ore pelas volta as aulas e pelas novas crianças do orfanato. Veja uma apresentação com os pedidos de oração deste mês para passar na igreja ou mostrar a algum amigo. Download aqui.

Doe para as crianças na Bolívia
Além de orar, sua oferta contribui para as despesas com as crianças no orfanato e este mês vai ajudar nos gastos com material e uniforme escolar. Clique aqui para doar.

>>Clique aqui e baixe este informativo para imprimir e colar no mural de sua igreja!

Valeu e até mais

Ricco

O recomeço do Erlan e sua família

erlan2Erlan andando de bicicleta no orfanato

Erlan é um garoto esperto e muito inteligente, ele está conosco na Casa Lar da Bolívia por problemas em sua família. Ele sofria maus tratos e exploração do trabalho infantil dentro de casa. Por causa do sentimento de rejeição, ele decidiu se ocupar dos afazeres domésticos como lavar roupa, lavar louça, varrer o quintal e outras coisas. Na sua cabeça ele queria se sentir útil. Ele pensava de maneira bem prática: se não gostam de mim, vou fazer alguma coisa para começarem a ver que eu tenho valor e quem sabe começam a gostar de mim. Esta não é a maneira correta de ser amado pela família, mas ele é apenas uma criança querendo ser amada e foi por este caminho.

Quando a Defensoria de La Niñez (que é como o Conselho Tutelar no Brasil) enviou ele a nós ele era muito triste, chorava bastante e estava atrasadíssimo na escola com relação aos seus companheiros de classe. As coisas mudaram com as novas oportunidades na Casa Lar. Começamos a fazer um trabalho intenso de educação e tarefas escolares, ele melhorou muito tanto nas matérias como no comportamento. Ele também passou a frequentar a igreja e participar dos devocionais na Casa Lar. A principal lição que passamos a ele é sobre o perdão. Começamos também a visitar e aconselhar sua mãe.

O orfanato não é o melhor lugar para uma criança e deve ser a última opção antes de separá-la da família. Quando a criança chega aqui incluímos a família nas atividades. E assim foi com a mãe do Erlan, que começou a ser visitada e algo começou a acontecer. Conversando ela topou receber o Erlan por um dia na semana, ele vai pra casa de Sexta a Sábado.

erlan1Erlan recebendo atendimento médico no próprio orfanato

Percebemos que o relacionamento de filho e mãe melhorou, eles se abraçam e beijam, coisa que não faziam antes. A mãe começou a se interessar pelo desempenho do filho na escola e tem demonstrado mudança com relação aos maus tratos e os trabalhos domésticos. A Bíblia diz que devemos cuidar do órfão e da viúva, eu não creio que isto signifique apenas separar a criança de sua família e levá-la a um orfanato. Cuidar para que filhos e pais fiquem juntos é mais difícil do que trazê-las para o abrigo, mas é o trabalho correto.

Ore pelo Erlan e por sua mãe e padrasto, que Deus reconstruir está família e ajude cada um a entender seu papel e se esforçar para cumpri-lo bem. Nossa tarefa é buscar novas oportunidades para o Erlan e trabalhar para que ele tenha um futuro brilhante. Obrigado por que você que ora e doa está ajudando a construir esta nova família do Erlan aqui na Bolívia.

Ricco

*Este post é o complemento de nossa carta de Novembro de 2013, se você ainda não recebe nossa comunicação impressa, cadastre-se aqui como mantenedor.

Troque a imagem de capa do seu perfil no Facebook

capa_fb_EMNão temos dúvida que a rede de amigos no facebook é uma força tremenda a favor das causas que nos engajamos. Quero convidar você a usar este seu super poder, o de mobilizar os amigos.

Meu pedido é simples, troque sua imagem de capa no facebook pela foto do projeto com as crianças nos presídios bolivianos. É a sua oportunidade de ajudar!

Clique aqui para baixar a imagem e corre lá no face trocar a foto de capa!

Valeu

Ricco