Grande comissão ou grande omissão?

Diante do desafio que Cristo nos deu em Mateus 28.18-20 uma pergunta me vem a mente: você quer ser participante da grande comissão ou da grande omissão? Talvez a nossa resposta estará baseada no que compreendemos desta responsabilidade que nos foi dada.

Para que fique mais claro, quatro pontos devem estar bem definidos.

1. A autoridade da nossa missão
No versículo 18 vemos que o Mestre inicia seu discurso demonstrando de onde procedia a autoridade para a ordem que seria dada. A autoridade de Cristo está tanto sobre os seres espirituais (anjos e demônios) quanto sobre os governantes temporais (autoridades terrenas instituídas). Ainda mais, está sobre os que se chamam seus servos, os cristãos. Diante de tal autoridade não há espaço para argumentações e racionalizações, somente há espaço para obediência.

2. O âmbito da nossa missão
No início do verso 19 Jesus vai delimitar o âmbito de nossa missão e este não é realmente muito limitado. Devemos fazer discípulos de todas as nações. Nesse sentido não podemos nos limitar as centenas de nações independentes atualmente reconhecidas pela ONU (o que já seria um grande desafio), mas temos que entender que Cristo declarou que o âmbito são todas as etnias, o que aumenta o nosso escopo de centenas para milhares, pois temos que considerar todas as línguas distintas, todas as culturas distintas e todos os grupos étnicos distintos. A missão realmente é enorme.

3. A atitude da nossa missão
Depois então vemos qual deve ser nossa atitude. Como igreja nossa atitude deve ser diferente da que teve Israel. Não devemos reproduzir uma determinada cultura, mas temos que entender que o cumprimento da nossa missão é supra cultural. Discipular significa tornar alguém submisso à disciplina. Discipular significa motivar à identificação com o Deus trino. Discipular significa promover obediência sem reservas. Algumas dessas atitudes respeitam as diversas culturas étnicas, outras exigem obediência exclusiva à cultura do Reino.

4. O amparo da nossa missão
Para concluir, a segunda parte do verso 20 nos consola. Se você tem sido cristão (não importa a quanto tempo) certamente você já experimentou esse “estarei convosco” na sua vida. Se olharmos sinceramente para a história e percebermos como o trabalho de missões e como a história da igreja foi preservada ao longo das eras, facilmente veremos a mão soberana de Deus agindo. Além disso, podemos ter a confiança de que este amparo só acabará com a vinda daquele que prometeu estar ao nosso lado.

Reconheço que é difícil o âmbito e a atitude da nossa missão. São humanamente impossíveis. Mas sabedores da autoridade do enviador e da qualidade do amparo que temos, não podemos esmorecer em cumprir nosso trabalho. É uma honra para o gênero humano poder ser parte dos planos de Deus.

E então? Você será parte desta grande comissão ou se esconderá vivendo a grande omissão?

Samuel

P.S.: Texto baseado em sermão do Dr. Carlos Osvaldo Cardoso Pinto

One thought on “Grande comissão ou grande omissão?”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *